PARA QUAL AMBIENTE VOCÊ PROCURA UMA SOLUÇÃO?
Residencial
Residencial

Serviços residenciais.

Orçamento online

Higienização Reservatórios de Água
Higienização Reservatórios de Água

Encontre o melhor serviço para sua casa.

Orçamento online

Condomínios
Condomínios

Serviços para Condomínios.

Solicite Orçamento

Empresarial / Industrial
Empresarial / Industrial

Serviços para empresas e indústrias.

Solicite Orçamento

Órgãos Públicos
Órgãos Públicos

Serviços para órgãos públicos.

Solicite Orçamento

Bahia: (71) 3354-0471 | (71) 99720-1383

Goiás: (62) 3639-0049 | (62) 99983-4109


Pragas Urbanas


Cupins

Nome cientifico: Cryptotermes brevis

Nome popular: Cupim de madeira seca

Tamanho: 4 a 5 mm


 

Descrição: Cabeça de coloração marrom escura a preta, pseudo-operáriosde coloração branca, creme ou amarelas. As colônias são pequenas (pouco mais de 1000 indivíduos) e inseridas diretamente na fonte alimentar (madeira seca); os integrantes da colônia deixam pelotas fecais típicas em forma de pequenos grânulos. Infestam madeira seca de todas as densidades e materiais celulósicos, não atacam partes vivas de árvores.

 
 

Nome cientifico: Coptotermes gestroi

Nome popular: Cupim subterrâneo, cupim de solo.

Tamanho: 2 a 6 mm


 

Descrição: cabeça ovalada de cor amarelada, corpo claro quase branco. Podem refogiar até 100 metros de distância do ninho principal Possuem colônias com milhões de indivíduos, realizam caminhamentos em forma de túnel, possuem ninhos primários e secundários. Danificam materiais que contenham celulose, madeiras de todas as densidades, árvores e palmeiras vivas ou mortas.


 

Nome cientifico: Nasutitermes sp.

Nome popular: Cupim arborícula

Tamanho: 2 a 6 mm


 

Descrição: cabeça globulosa de coloração marrom ou preta, corpo de coloração alaranjada, muito encontrada em regiões litorâneas. Cupins tipicamente arborícolas, mas também possuem ninhos subterrâneos e epígeos (acima do solo). As colônias possuem muitos milhões de indivíduos. Infestam mourões de cercas, postes de madeira, árvores e edificações. Destroem materiais celulósicos em geral, madeira úmida ou seca, preferindo o alburno ao cerce de árvores.