Controle de Caracol-gigante-africano

O caramujo-gigante-africano ou caracol-gigante-africano (Lissachatina fulica) é uma espécie de molusco terrestre originário da África. Foi mundialmente disseminado pela ação humana ligada a gastronomia e, no Brasil, foi introduzido a partir 1988 como uma forma barata de substituir o escargot.

Esse caracol, além de ser uma praga de áreas cultivadas, pode transmitir parasitos pertencentes ao grupo dos nematoides, do gênero Angiostrongylus, que causam doenças de difícil diagnóstico em humanos. O ser humano é acometido pelo parasito acidentalmente quando ingere alimentos ou água contaminados com larvas presentes no muco secretado pelo caracol.

O controle é realizado em áreas externas com a aplicação de isca moluscicida em formulação granulada que causará a desidratação e morte da praga. Apresenta menor risco toxicológico para seres humanos, demais animais e meio ambiente.